segunda-feira, 27 de abril de 2009

Petrobras: produção recorde, mas análises fazem ressalvas

Estatal pode encontrar desafios para cumprir sua meta de produção em 2009; mercado de gás dá sinais de recuperação
SÃO PAULO - A produção total de petróleo, LGN (Líquido de Gás Natural) e gás natural da Petrobras (PETR3, PETR4) teve alta de 2,5% em março, ante o registrado em fevereiro, segundo dados divulgados pela estatal na última sexta-feira (24).

De maneira geral, corretoras elogiaram o resultado, destacando o crescimento da produção na passagem mensal. Contudo, algumas observações merecem a atenção dos investidores.

Ativa
A corretora Ativa destaca que a produção voltou a acelerar após um fevereiro "bastante fraco". Em comunicado enviado aos clientes, a Ativa relembra que a meta da estatal para 2009 é de 2.050 bpd (barris de petróleo diários).

Para atingir tal nível, a Petrobras pretende colocar em operação cinco sistemas de produção, localizados em: Parque das Conchas, Frade, Marlim Sul (P-51), Tupi (TLD - teste de longa duração) e Jabuti. Além disso, a empresa conta também com o aumento da produção das plataformas: P-52 e P-54, que atingirão seu pico de produção ao longo de 2009, e ainda com a P-53, que entrou em operação em dezembro último.

Segundo a Ativa, "todos esses novos sistemas terão que compensar a queda natural de produção dos campos maduros e contribuir de forma positiva para o crescimento da produção". A corretora ainda classifica como "grande" o desafio da Petrobras, principalmente devido aos "atrasos na entrada de novos sistemas de produção que poderão comprometer a meta".

Itaú Corretora
A recomendação de sector-perform (performance em linha com o setor) foi mantida pela corretora, assim como o preço-alvo, estipulado em R$ 38,30 por cada ação preferencial. De acordo com a Itaú Corretora, o mercado reagiu de forma neutra aos dados de produção da Petrobras.

A corretora também faz um comentário para a produção doméstica de gás, que cresceu 5,2% em março. Como é alto o custo para estocar o combustível, a equipe de análise acredita que o aumento da produção é um sinal de que a demanda doméstica por gás está se recuperando, principalmente de acordo com o crescimento da produção industrial.

A Itaú Corretora ainda enfatiza que, no momento, sua projeção para a produção é conservadora. No entanto, ressalta que, caso os dados de produção da Petrobras sejam melhores em abril, irá revisar para cima as atribuições feitas para a estatal.

Ágora
Para a Ágora corretora, a notícia foi positiva. A recomendação de compra foi mantida, ao mesmo tempo em que o preço-alvo permaneceu em R$ 39,00 para os papéis PN.

A Ágora ainda ressalta, em comunicado, que o novo recorde mensal de produção no Brasil foi decorrente do crescimento da produção nas novas plataformas da estatal.

Bradesco Corretora
A recomendação de "market perform" foi mantida pela corretora do Bradesco, com preço-alvo de R$ 37,30 para as ações preferenciais e de US$ 40,00 por ADR (American Depositary Receipt).

Nenhum comentário:

Busca

Pesquisa personalizada

Popular Posts

google search

Pesquisa personalizada
Ocorreu um erro neste gadget